Ҵýֱ

Ҵýֱ realiza cerimônia de homenagem pelos 60 anos de traslado dos restos mortais de Theodomiro Santiago

No dia 21 de junho, a Reitoria fez uma homenagem em respeito e memória aos 60 anos do traslado dos restos mortais de Theodomiro Santiago.

Participaram da cerimônia o reitor da Ҵýֱ, o prefeito e demais representantes da administração municipal, membros do CONSUNI, ex-alunos da Instituição e integrantes da AD-Ҵýֱ e da FTS.

Além do reitor da Ҵýֱ, discursaram o prefeito de Itajubá e a presidente da AD-Ҵýֱ, enaltecendo a vida e os feitos de Theodomiro Santiago.

O ex-aluno Hélcio Marcello do Amaral falou de sua participação, há 60 anos, no evento de traslado dos restos mortais do fundador da Instituição.

A aposição de flores no mausoléu do Dr. Theodomiro foi feita pelo reitor, o prefeito e a professora Fúlvia, representante da PROEX.

O violonista Júlio César Silva apresentou a canção “Theodomiro, Nosso Guia”.

No Salão de Atos do CHC-Ҵýֱ, houve um coffee break, ao som do pianista Eron Pontes Lima. (Crédito das fotos: SECOM – Ҵýֱ)

No dia 21 de junho, sexta-feira, quando se completaram 60 anos do traslado dos restos mortais do Dr. Theodomiro Carneiro Santiago do Cemitério São João Batista, na cidade do Rio de Janeiro, para o então Prédio Central, hoje Complexo Histórico e Cultural da Universidade Federal de Itajubá (CHC-Ҵýֱ), a Reitoria fez uma homenagem em respeito e memória a essa importante data.

Realizada às 9 horas no Mausoléu do Dr. Theodomiro, no CHC-Ҵýֱ, a cerimônia contou com a participação do reitor da Universidade, professor Edson da Costa Bortoni; do prefeito de Itajubá, Christian Gonçalves Tiburzio e Silva; dos secretários municipais de Cultura e Turismo, Bruno da Costa Mello, e de Ciências, Tecnologia, Indústria e Comércio, José Fernando Grassi Bissacot, e da diretora do Departamento de Turismo do município, Taynara Maria Guimarães Gonçalves.

Também estiveram presentes a presidente da Associação dos Diplomados da Universidade Federal de Itajubá (AD-Ҵýֱ), engenheira Dagmar Luz de Andrade; a vice-presidente da Fundação Theodomiro Santiago (FTS), engenheira Ana Maria Dias Rodrigues Puccini, e a professora Fúlvia Stéfany Silva de Oliveira, do Instituto de Ciências Tecnológicas (ICT) do campus da Ҵýֱ em Itabira, que representou a Pró-Reitoria de ٱԲã (PROEX).

O evento contou ainda com a presença de membros do Conselho Universitário (CONSUNI) e de ex-alunos da Instituição.

Discursos

Na cerimônia, fizeram uso da palavra o reitor da Ҵýֱ, o prefeito de Itajubá e a presidente da AD-Ҵýֱ, que enalteceram a vida e os feitos de Theodomiro Santiago, fundador da Instituição.

Na oportunidade, os ex-alunos Hélcio Marcello do Amaral, da Turma de 1959, e Gilberto José Machado de Faria, da Turma de 1968, compartilharam suas experiências de terem participado, há 60 anos, do evento de traslado dos restos mortais do fundador da Instituição.

Após os discursos, foi feita a aposição de flores no Mausoléu do dr. Theodomiro, assim como acontece todos os anos, no dia 23 de novembro, por ocasião do aniversário de fundação da Instituição. Participaram desse momento, o reitor, o prefeito e a professora Fúlvia, representante da PROEX.

Na sequência, o violonista Júlio César Silva, doutor em Engenharia Mecânica pela Ҵýֱ, apresentou a canção “Theodomiro, Nosso Guia”, de sua autoria e do professor aposentado Geraldo Lúcio Tiago Filho.

Foram feitos, então, em nome do servidor Paulo César Gonçalves, coordenador do CHC-Ҵýֱ, os agradecimentos a instituições e pessoas que tornaram possível a realização do evento: Reitoria, Secretaria de dzܲԾçã (SECOM), AD-Ҵýֱ Nacional e de Itajubá, Associação dos Docentes da Universidade Federal de Itajubá (ADҴýֱ), Confraria do Baco e Diretoria do Cursinho Assistencial Amigos de Itajubá (CAAI); os servidores Daniel Ribeiro dos Santos Silva, da Diretoria de Serviços Gerais (DSG), e Mônica Lúcia Azevedo Nogueira, da Coordenação de Materiais e Patrimônio da DSG; os ex-alunos da Instituição Dagmar Luz de Andrade, José Ailton Baptista da Silva e Luiz Gonzaga Rennó Salomon (Zaga); os músicos Júlio César Silva e Eron Pontes Lima; Mônica Salles; os vigilantes e as colaboradores de limpeza do CHC-Ҵýֱ Karina e Rosângela e os terceirizados da empresa Precisa.

Após o evento no Mausoléu, os presentes se dirigiram ao Salão de Atos do CHC-Ҵýֱ para um coffee break, ao som do pianista Eron Pontes Lima, aluno do curso de Engenharia Mecânica da Ҵýֱ.

Relato sobre o traslado

Antes dos discursos realizados no Mausoléu, foi apresentado um relato feito pelo historiador José Armelim Bernardo Guimarães, sobre o traslado ocorrido há 60 anos, que informa que o Dr. Theodomiro Carneiro Santiago faleceu na cidade do Rio de Janeiro em 25 de outubro de 1936, sendo que o féretro partiu do edifício Guarujá, em Copacabana, onde residia, para o cemitério São João Batista, acompanhado de altas autoridades do âmbito federal, de Minas Gerais e de representantes de Itajubá.

O texto também relata que, à beira do túmulo, falaram alguns oradores, entre os quais o deputado João Beraldo, em nome da Câmara Federal, e Gentil França, que representava o Banco Mineiro do Café.

Segundo o historiador, o Rotary Club, por feliz iniciativa do professor João Baptista Ricci, procedeu à exumação, na necrópole carioca, dos restos mortais do Dr. Theodomiro carneiro Santiago, chegados a Itajubá em 21 de junho de 1964.

Também é relatado que, nessa data, a urna de granito, com os respeitáveis despojos do educador, foi depositada no mausoléu de mármore que se encontra no térreo do antigo prédio do Instituto Eletrotécnico e Mecânico de Itajubá (IEMI), na rua Coronel Rennó.

De acordo com o relato, o orador daquela solenidade foi o advogado José Pinto Rennó e, em nome da família, falou Marcelo Theodomiro Santiago, filho do homenageado. Presentes estavam a viúva do educador, o então arcebispo de Pouso Alegre, Dom José d’Ângelo Neto, e outras altas autoridades.

O texto original sobre o traslado está disponível em:

.